quarta-feira, 23 de abril de 2014

Inscrição até 29 de abril através da internetA Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) está com inscrições abertas para concurso público de provas e títulos para professor auxiliar e assistente, visando o preenchimento das vagas existentes para os cargos permanentes do quadro de pessoal. A inscrição deve ser feita até as 12h do dia 29 de abril de 2014, apenas pela internet, através da home page da www.uefs.br, seção Concursos e Seleções.
São oferecidas sete vagas para as áreas de anestesiologia; áudio visual aplicado à educação musical/ tecnologia da informação aplicada à educação musical/ música digital/ acústica musical/ estágio supervisionado; emergências; ginecologia; psicopatologia I e II; química geral e ensino em química; regência, canto coral, técnica vocal, prática de conjunto.
O edital do concurso também está disponível na internet. Mais informações através do telefone (75) 3161-8030.
O vereador Edvaldo Lima usou a tribuna da Casa Legislativa, na manhã desta quarta-feira (23), para externar sua indignação com relação a um suposto pronunciamento da presidente da Republica, Dilma Rousseff (PT), sobre a população baiana.
Vereador repercute nota que diz que Dilma teria chamado o povo baiano de preguiçoso (23.04.2014)
O discurso foi divulgado pelo site arrota1.com.br e disseminado em diversos blogs do estado da Bahia. Para o vereador, a presidente agiu de forma infeliz ao tratar os baianos como preguiçosos.
“Dilma diz que a Polícia Militar da Bahia faz greve por que baiano é preguiçoso, isso é inadmissível”, reclamou Edvaldo Lima, afirmando que “nós baianos somos trabalhadores e merecemos o respeito da presidente Dilma". 
Em aparte, o vereador Pablo Roberto (PT) declarou que o responsável por essa nota não tem credibilidade jornalística. “Eu desafio a quem quer que seja a mostrar uma gravação, um áudio desse comentário da nossa presidente Dilma Rousseff”, disse o edil, ressaltando  que essa informação divulgada  na internet é falsa.
Na oportunidade, o petista afirmou que a presidente do Brasil “tem contribuído muito com todas as políticas sociais e com todas as transformações importantes que este país tem experimentado”.
Veja a matéria na integra:
Declaração polêmica da Excelentíssima Presidente Dilma deixou o povo baiano revoltado.
Em uma palestra sobre a Petrobras no interior de São Paulo, um repórter perguntou sobre a greve da PM na Bahia e ela disse: "É por isso que chamam baiano de preguiçoso, não sou eu que estou dizendo, mas todo boato tem um pouco de verdade". Dilma ainda disse que ia até aprender a jogar capoeira, mas desistiu depois de saber da greve.
Depois da declaração desastrosa, o governador da Bahia comentou em um programa de rádio que nem sabe mais o que dizer, e que a sorte dele que ele não é baiano e riu no final, mas afirmou que foi  apenas um mal entendido do baiano com a presidente Dilma, e que acredita que ela vai repensar sobre aprender capoeira de angola.
Depois da situação crítica, Dilma não quis comentar a situação e afirmou que a única solução são os policiais cubanos que chegaram em salvador nesta sexta. 
Em discurso proferido na tribuna da Casa Legislativa, nesta quarta-feira (23), o vereador Roque Pereira (PTN) teceu duras críticas à Associação Feirense de Assistência Social (Afas), que administra o cemitério municipal São Jorge. Segundo ele, a entidade está cobrando Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) dos proprietários de túmulos.
Cemitério São Jorge: vereador diz que Afas está cobrando IPTU sobre túmulos  (23.04.2014)
O vereador classificou essa cobrança de IPTU sobre túmulos no cemitério mencionado como uma “palhaçada e picaretagem”. Roque Pereira, que é empresário do ramo funerário, afirmou que irá denunciar a Afas no Ministério Público.
“Eu quero saber do presidente da Afas, Ewerton Cerqueira, se o cemitério São Jorge transformou-se na casa dele, em uma propriedade particular, porque isso é um absurdo pagar IPTU em cemitério!”, reclamou o edil.
Em aparte, o vereador Welligton Andrade (PTN) satirizou o fato. “Aconselho Vossa Excelência que faça uma sugestão ao administrador, o senhor Ewerton Cerqueira para que ele cobre IPTU do usuário: o defunto”. 
Novamente com o uso da palavra, Roque Pereira afirmou  que o cemitério São Jorge é referência para outros cemitérios em termos de majoração de preços de sepultamentos. “Quando o São Jorge aumenta os preços, os  demais cemitérios da cidade  acompanham o reajuste. Hoje se paga R$ 1.500,00 para fazer um sepultamento em Feira de Santana”, criticou.
Na oportunidade, o edil parabenizou o vereador Correia Zezito (PTB) pela indicação que este fez ao prefeito José Ronaldo de Carvalho solicitando a construção de um novo cemitério público no município.
“No país é lei: todos os municípios têm a obrigação de ter um cemitério municipal. Em Feira de Santana, em gestões anteriores, deram o cemitério São Jorge a Afas para administrar, mas infelizmente virou patrimônio particular de alguns ‘magangões’ da cidade”, afirmou.
Os professores das Universidades Estaduais da Bahia (Uefs, Uneb, Uesc e Uesb) paralisarão as atividades acadêmicas na próxima terça-feira (29), em protesto contra a redução de verbas em quase 12 milhões para custeio e investimento, imposta pelo governo estadual. Com isso, o risco das instituições entrarem em colapso é muito grande, pois faltará dinheiro para comprar material e equipamentos, as obras de reforma e construção serão suspensas, o restaurante universitário poderá ser fechado, ocorrerão atrasos no pagamento de fornecedores, das empresas terceirizadas, das contas de luz, água e telefone. Também estarão suspensos os concursos e seleções públicas para professores e técnico-administrativos.


A paralisação tem o objetivo chamar a atenção da comunidade para a gravidade da crise que se avizinha e, ao mesmo tempo, buscar seu apoio para a luta em defesa da Educação pública, cada vez mais sucateada pelos governos que não lhe dão a devida prioridade. A mobilização reflete a preocupação dos docentes com o futuro das universidades estaduais e com a qualidade do trabalho que realizam.

As instituições de ensino têm sido fundamentais na formação de profissionais, cidadão e cidadãs, buscando a competência e o compromisso social. Também têm contribuído com a produção do conhecimento científico e cultural, tão necessário ao desenvolvimento sócio-econômico regional. Dessa forma, a categoria docente exige uma política que garanta as condições para seu pleno funcionamento, no momento comprometido pela falta de orçamento.

Como parte das ações da mobilização, a diretoria da Associação dos Docentes da Uefs (Adufs) está convidando representantes de entidades sindicais e dos movimentos sociais, além da imprensa, para um café da manhã, no dia da paralisação (29), a partir das 8 horas, no pórtico da Uefs. Na ocasião, explicará em detalhes os problemas enfrentados pela comunidade por causa da falta de recursos.

Os estudantes da Uefs também estão mobilizados e vêm realizando manifestações contra as precárias condições de estudo e a ameaça de fechamento do bandejão. Os técnico-administrativos, por sua vez, já paralisaram as atividades pela implantação do plano de cargos e salários. No final do ano passado, as três entidades (Adufs, DCE e Sintest) e a reitoria protocolaram um documento junto à Secretaria da Educação (SEC) apontando para os graves efeitos da redução do orçamento. A reivindicação é de que seja destinado às universidades um orçamento equivalente a 7% da Receita Líquida de Impostos. Atualmente, esse percentual não chega a 5%.
A quarta-feira ainda não é oficialmente o primeiro dia da Micareta 2014, mas promete esquentar a véspera da abertura oficial da festa. Vários  blocos alternativos ou não, vão desfilar no Circuito Maneca Ferreira, o  palco principal da folia, na noite de hoje, 23.
foto           
Entre as atrações está o bloco Zero Hora, um dos mais tradicionais da Micareta de Feira de Santana. Segundo o radialista Framário Mendes do Nascimento, um dos coordenadores do Zero Hora, este  ano a turma da imprensa, que fundou o bloco e os convidados, vão se reunir às 19h no bairro Capuchinhos.
            
O local da concentração é o bar Mangueira, próximo a Igreja de Santo Antonio dos Frades Capuchinhos. Durante o encontro serão distribuídas as camisas com o tema da Copa do Mundo.
 
Já são quase 50 anos de folia do bloco Zero Hora, mantendo a tradição de sair antes para permitir que os profissionais de imprensa, radialistas e jornalistas, maioria entre os foliões, possam curtir a Micareta ao lado de familiares e amigos.
         
Afinal a cobertura jornalística da Micareta logo em seguida exige muito o trabalho da categoria. A previsão da diretoria do Bloco Zero Hora é iniciar o desfile ás 20h e fazer a dispersão exatamente a meia noite.
 
Também desfilam nesta quarta-feira, 23 a partir das 19h30, ao som de fanfarras e charangas, os blocos Só Bebo, Bando Banda e Amigos do Nico. Depois é a vez do Bloco Trote com Cheiro de Amor, Bloco dos Amigos animado pela banda Duas Medidas e Côco e Cia.com a banda Conect.
 
O trajeto dos modais dos transportes públicos e no trânsito de Feira de Santana sofrerá modificações temporárias, no período de 24 a 28 de abril, em função da Micareta 2014. Os percursos serão alternados ao longo da avenida Presidente Dutra, trecho entre as ruas Frei Aureliano e Castro Alves.
foto
Portaria neste sentido foi baixada pelo secretário de Transportes e Trânsito, Ebenezer Tuy, visando facilitar o acesso ao transporte e orientar os usuários sobre as modificações nos itinerários dos diversos modais.
 
A medida altera desde o transporte alternativo convencional, realizado por ônibus, até o itinerário dos veículos das linhas distritais do Serviço de Transporte Público Alternativo Complementar (STPAC), notadamente das linhas de Terra Dura, Humildes e do bairro Limoeiro.
 
A portaria ainda define os pontos de embarque/desembarque de passageiros, em caráter especial, para os modais do sistema de transportes públicos. Para os ônibus, pontos com toldos e iluminação na avenida Sampaio, próximo à esquina com a rua Comandante Almiro; na praça Jackson do Amaury, na avenida Presidente Dutra, sentido BR-324, antes da rua Barão de Cotegipe. E com placa na rua Cristóvão Barreto, 81, próximo à funerária São José.
 
Para os táxis os pontos serão na rua Barão de Cotegipe, 678, em frente à Central do Bolsa Família; na rua Castro Alves, 878, próximo ao Sindicato dos Químicos; na rua Barão do Rio Branco, 857, edifício Augusto Freitas (ponto com três vagas dentro do estacionamento privativo); rua Georgina Erismann (lateral do G. Barbosa/Rodoviária); avenida Maria Quitéria (escritório Terra Nova/Rodobens Imobiliária – ponto com três vagas dentro do estacionamento privativo); e avenida Maria Quitéria (BNB Clube – ponto com três vagas dentro do estacionamento privativo).
 
Já os estacionamentos para mototáxis serão na rua Barão do Rio Branco, 857 (Clínica Gastros – ponto com três vagas dentro de estacionamento privativo); rua Georgina Erismann (lateral do G. Barbosa/Rodoviária); avenida Maria Quitéria(estacionamento da FAT – defronte a Ikebana, pontgo com três vagas dentro do estacionamento privativo); e avenida João Durval Carneiro, 1417 (Casa de Carne São João – ponto com três vagas dentro do estacionamento privativo).
 
Enquanto isso, as vans do sistema de transporte público alternativo complementar terão pontos de parada à rua Barão de Cotegipe (Limão Drink’s), avenida Getúlio Vargas (Lucidata) e rua Barão de Cotegipe (Panificadora Universo).
 
A medida também estabelece mudanças temporárias nos itinerários do transporte intermunicipal e interestadual de passageiros. Veja em anexo a portaria com mapas e itinerários dos respectivos modais do transporte público em Feira de Santana.
As luzes para o maior carnaval fora de época do país já estão acesas. Na noite desta terça-feira, 22, a iluminação complementar para a Micareta de Feira de Santana – que começa nesta quinta-feira, 24 e segue até o domingo, 27 – foi inaugurada pelo prefeito José Ronaldo de Carvalho.
 
foto
 
Foram investidos cerca de R$ 246 mil que englobam uma potência instalada de 12.450 kwh. Estão espalhados pelo circuito Maneca Ferreira, na avenida Presidente Dutra, 320 projetores de 1000W, 200 projetores de 400W e 10 mil metros de cordão de luz com lâmpadas de 60W – mais conhecida como gambiarra.
 
Na montagem de toda estrutura da iluminação foram empregadas 36 pessoas. Dentre os empregados diretos estão engenheiros, eletrotécnicos, técnicos de segurança, eletricista, motoristas e ajudantes. A empresa responsável pelos serviços foi a Ghia Engenharia, vencedora da Licitação Pública.
 
“Esse é o momento em que observamos tudo nos últimos dias que antecedem a festa. Em relação a iluminação fizemos o teste hoje e deu tudo certo. Esperamos que essa seja uma Micareta de muita paz para todos”, declarou o prefeito. Nesta quarta-feira, 23, o gestor também percorrerá o circuito para verificar a estrutura da festa.
 
A novidade este ano é a iluminação de locais que antes não recebia os equipamentos. A exemplo dos pontos de ônibus nas proximidades do circuito e também antes da concentração de trios e no setor de dispersão dos foliões – que compreende o trecho de frente do Hospital Especializado Lopes Rodrigues até o Monumento ao Caminhoneiro.
Os vencimentos dos servidores públicos da administração direta e descentralizada do Município de Feira de Santana, suas autarquias e fundações, assim como os dos servidores ocupantes de cargos de provimento temporário, serão reajustados em 5,92%, enquanto os salários dos professores especialistas em educação e secretários escolares serão reajustados em 8,32%.
 
 
A mensagem estabelecendo a revisão anual dos vencimentos dos servidores públicos municipais foi encaminhada à Câmara Municipal de Feira de Santana, nesta terça-feira, 22, pelo prefeito José Ronaldo de Carvalho, em regime de urgência, para que os reajustes já possam ser incorporados nos salários de maio.
 
O reajuste salarial está previsto no Projeto de Lei de nº 004/2014 e somente não contempla secretários municipais e aqueles correspondentes ao símbolo Direção e Assessoramento Superior (DAS) e Direção e Assessoramento Especial (DAE), já que estes cargos possuem legislação específica.
 
A medida também determina que o menor vencimento pago pela Administração Municipal, a partir de 1º de janeiro de 2014, é de R$ 724,00. E para os aposentados e pensionistas serão aplicados os mesmos percentuais de 5,92% enquanto os professores, especialistas em educação e secretários escolares, todos inativos, terão os proventos revistos em 8,32%.
O radialista Silvério Silva dará o nome à Sala de Imprensa na Micareta deste ano. Ser homenageado na maior festa popular da cidade, um evento feito para o povo é, para o radialista, que completa 50 anos de profissão este ano, o reconhecimento pelo seu trabalho nestas cinco décadas em Feira de Santana e toda região. A iniciativa é da Secretaria Municipal de Comunicação (Secom).
foto
“A Micareta é democrática, é popular, é do povo. É como o meu trabalho, que desde o início da minha carreira esteve voltado para o interesse da população. Sempre trabalhei pensando em informar, contribuir e entreter o povo de Feira de Santana. Por isso essa homenagem é motivo de muito orgulho, uma honra para minha carreira e minha vida”, diz Silvério, que  garante ser um grande folião.
 
Quem já participou de 50 Micaretas tem opinião formada sobre a folia. Saudade, sugestões e até criticas sobre o primeiro e maior Carnaval fora de época do país. Ele sente falta de quando começava às 10h. “Gostaria que a Micareta voltasse a ser mais diurna. Lembro que as grandes atrações já começavam a desfilar pela manhã. Acho que o folião tem fôlego para curtir a festa o dia inteiro”, sugere.
 
Silvério Silva já recebeu outras homenagens na folia de Feira de Santana. Já foi rei do Bloco Zero Hora e há cinco anos é majestade do bloco Tracajá, formado pela imprensa, artistas e autoridades do município e uma das grandes atrações do domingo, último dia da Micareta.
 
A Sala de Imprensa, instalada no circuito Maneca Ferreira, começa a funcionar a partir da quinta-feira (24) e vai atender profissionais locais e de todo o país durante todo o período da folia, com infraestrutura para atender as demandas da imprensa . Silvério Silva destaca o trabalho da imprensa na Micareta como primordial para o sucesso do evento. Segundo ele, “quem faz a festa ficar famosa é a imprensa , por isso todo investimento que a Prefeitura possa fazer para facilitar este trabalho  é louvável”, diz.

quinta-feira, 17 de abril de 2014

No mundo do trabalho nada é tão legítimo quanto a luta por melhorias em sua qualidade e aumento na percepção financeira, é o que lá atrás Marx já denunciava como a exploração da mão de obra do trabalhador e sua mais valia. Desse conceito mais geral tiramos uma norma, que para muitos se estende como princípio consuetudinário (aquele que é resultado dos costumes de uma sociedade), que equilibra todas as lutas e movimentos reivindicatórios, como as greves, de modo socialmente aceitável e politicamente necessário.


Contando com suas especificidades, a greve dos trabalhadores da Polícia Militar da Bahia se enquadra nessa perspectiva e vai acontecer sempre que for preciso! Greve é sempre um processo político, qual o problema nisso? Qual o problema do policial militar lutar por seus direitos?

Ao tempo em que o entendimento sobre o Direito de greve, como inalienável (algo que não pode ser cedido), é pacífico para os defensores dos direitos humanos e dos trabalhadores, a extensão dessa prerrogativa constitucional se esbarra no vidro torpe dos resquícios do período de exceção, onde o regime de ordem era militar, hierarquizado e castrador de direitos. É neste ímpeto que se esconde a “fervura” do anseio da tropa militar.

É bem verdade que como todo e qualquer trabalhador a luta pela melhoria da qualidade do trabalho e o aumento no ganho real é tênue e necessária, porém a categoria em questão possui nuances que a diferencia em pautas e em impactos.

Neste último período o debate acerca do papel da polícia militar surgiu como importante agente de formulações que apontassem no caminho da necessidade em iniciar a desmilitarização. As manifestações de junho de 2013 foram responsáveis, para além de ecoar o grito pela melhoria nos serviços, por instrumentalizar o questionamento sobre que modelo de polícia é esse. Para os que preferem o acusatório deleite de reduzir o debate apenas à parte da violenta marcha policial pela garantia da “ordem pública”; este raciocínio certamente será conduzido a responsabilizar o sintoma, a violência em si, sem a coragem de ir mais a fundo na questão de enfrentar este modelo apodrecido de corporação.

A greve do Maranhão, da Bahia e tantas outras lutas feitas pela base da corporação não podem ser refletidas apenas como lutas por ganho salarial, tanto governo progressistas quanto a sociedade, precisam garantir apoio ao que transversaliza todo esse problema: a desmilitarização!

Quando uma tropa via entidades legítimas, negocia por meses (quase um ano!) os aspectos de remuneração e principalmente uma pauta extensa de propostas de modernização da categoria, é porque existe uma necessidade histórica, de mudar este modelo de gestão da segurança pública via Polícia Militar.

Pesquisas realizadas pelas entidades e organismos independentes apontam que mais de 70% da tropa não suporta mais este modelo de polícia equivocado. O professor e antropólogo Luiz Eduardo Soares, importante especialista e defensor da matéria, afirma que devemos lutar pela desmilitarização “porque já passou da hora de estender a transição democrática à segurança pública.” (2013)

A realidade interna da tropa vem tendo seu perfil transformado. A demanda com o aumento populacional empurra os governos à obrigatoriedade de aumentar o contingente, e mesmo que aquém do necessário, a década foi permeada com o ingresso de perfil com maior contestação, seja por estar submetido à vizinhança inóspita, ou por estar conduzido pela melhor qualificação acadêmica. O fato é que, como na época da casa grande, continua recebendo treinamento de capitães do mato, subordinada a um sistema de comando ultrapassado, autoritário e intolerante normatizado no tempo da ditadura.

É um modelo que precisa ser sepultado pelas forças democráticas. O desproporcional grau de repressão que vimos em junho do ano anterior é o resultado de um método de treinamento de guerra, e na guerra você estabelece o inimigo, fixa o perímetro, ganha o território e aprende a conviver com os efeitos resultantes de cada ação.

É para reduzir os danos causados por esse modelo de segurança, por tentativa de adestramento, que toda movimentação reivindicatória mínima que seja, precisa de apoio popular de modo a alcançar caldo político suficiente para garantir o objetivo maior, a desmilitarização. Negociações isoladas, tramitação no congresso, promessa de campanha, nada disso demonstrou o mínimo de confiança. Só a luta pode servir de trampolim para esse ganho, que para além de beneficiar os trabalhadores da segurança pública, beneficiará toda sociedade á medida em que transforma o potencial de segurança e equilibra a gestão democrática.

Sigamos firmes nas lutas por melhorias e salários, mas, sobretudo, lutando pela democratização da democracia como benefício coletivo de modo a que não precisemos repetir com governos retrógrados e a ter como declaração de gestores da polícia o disparate de em pleno momento de guerra civil, dizer que esta tudo bem!  (Dr. Ícaro Argôlo - Advogado, Professor, Especialista em Gestão Pública – UNEB)
O presidente da Associação de Policiais e Bombeiros e de seus Familiares no Estado (Aspra), Marco Prisco, afirmou, em contato com a Rádio Metrópole na manhã desta quinta-feira (17), que a greve da Polícia Militar pode ser encerrada ainda nesta manhã. "Essa greve pode terminar hoje, daqui a uma hora, no máximo daqui a uma hora e meia. Na realidade está faltando uma pauta para ser resolvida", disse.

A greve começou na última terça-feira (15) e, segundo o governo do Estado, o impasse com a polícia é por conta de uma nova proposta da categoria que representa um aumento anual de mais de R$ 600 milhões, considerado pelo governo como um "retrocesso". 

Daniele Rodrigues / Arquivo Metropress O vereador Prisco disse que a contraproposta dos policiais já foi retirada da pauta. "O governo pediu uma contraproposta. Na negociação essa mesma proposta foi retirada. Não tornamos inviável [a negociação] porque na mesma mesa retiramos a proposta. Captamos a proposta do governo. Estamos indo agora para uma reunião com o comandante geral da corporação. Tendo resolvido isso, acredito que daqui à uma hora, uma hora e meia, essa greve esteja encerrada", finalizou. As informações são do Metro 1.
O aumento de despesa proporcionado pelas reivindicações das associações de policiais militares da Bahia, apresentadas nesta quarta-feira (16), ultrapassa o limite orçamentário do Estado. “Essa nova pauta nos causa muita surpresa. Falamos que já estávamos no nosso limite e, hoje, recebemos a proposta com mais coisas inseridas. Esses pontos nos dariam um gasto anual de mais R$ 600 milhões. Consideramos isso um retrocesso”, afirmou o secretário da Segurança Pública, Maurício Barbosa.
 
Segundo o secretário, o canal de negociação continua aberto. “Vamos ficar aguardando para que eles encaminhem uma proposta razoável. Esperamos isso rápido porque dependemos desta resposta para chegar a um consenso”.
 
Reprodução Barbosa informa que, na terça-feira (15), antes de levar a proposta para a categoria na assembleia, novas concessões foram incluídas na proposta apresentada pelo governo, entre elas a aposentadoria aos 25 anos de serviço para as mulheres e o aumento do CET, que representa uma despesa de mais R$ 50 milhões para o Estado.
 
Tropas federais
 
Atendendo a um pedido do governador Jaques Wagner, a presidente Dilma Rousseff autorizou as tropas federais a executarem ações de garantia da lei e da ordem na Bahia. A partir desta quarta-feira (16), mais de seis mil soldados da 6ª Região Militar e vindos de outros estados, estão fazendo um trabalho especial de policiamento nas ruas de Salvador.
 
As ações de segurança foram discutidas pela manhã, em reunião entre o governador Jaques Wagner, o comandante da 6ª Região Militar, general Racine Bezerra, e o secretário Maurício Barbosa. Também participaram do encontro os presidentes da Assembleia Legislativa, deputado Marcelo Nilo, e do Tribunal de Justiça da Bahia, desembargador Eserval Rocha, além do chefe do Ministério Público Estadual, procurador Marcio Fahel, e o representante do Ministério Público Federal na Bahia, Pablo Coutinho.
Blog Feira Notícias. Tecnologia do Blogger.