quarta-feira, 16 de abril de 2014

Por conta da greve da Polícia Militar, deflagrada nesta terça-feira (15), a Guarda Municipal de Salvador resolveu paralisar as atividades por tempo indeterminado. Em entrevista ao iBahia, o coordenador geral do Sindicato dos Servidores da Prefeitura do Salvador (Sindseps), Bruno Carianha, revelou que por causa do clima de insegurança, os guardas estão recolhidos na sede da corporação, na Fazenda Grande do Retiro. Segundo ele, como a categoria não tem nada a reivindicar, não há greve, mas até que seja restabelecida a ordem na capital baiana, os guardas municipais não irão se arriscar.

"Nós estamos paralisados por conta da falta de segurança da cidade. Se continuar, nós não vamos trabalhar. Se a segurança for restabelecida, com Polícia Militar, Civil e todas as corporações voltando, a gente volta a trabalhar normalmente. O efetivo operacional está resguardado na sede e o patrimonial não tem ido ao trabalho, tem ficado em casa. Somente aqueles onde a área de atuação é mais tranquila estão indo, só que a paisana. Nos locais que possuem um índice de periculosidade maior, os guardas não foram", disse.

(Foto: Evandro Veiga/Arquivo CORREIO)
De acordo com Bruno, a corporação sequer ficará de prontidão nas estações de ônibus da capital. "Diferente do que o Prefeito falou, a Guarda Municipal não está cobrindo as Estações de Transbordo! Não temos efetivo, nem armamento o suficiente. São 96 guardas armados apenas e isso não é o suficiente para cobrir a cidade inteira", contestou.

Em contato com o iBahia, um guarda que não quis ter sua identidade revelada, contou ainda que além do recolhimento por falta de segurança, um dos motivos da paralisação seria a cautela com relação ao relacionamento com a PM. Segundo ele, a Guarda Municipal quer se manter neutra com relação aos protestos e não pretende bater de frente com os militares que se recusam a trabalhar.
A Câmara Municipal aprovou na manhã desta quarta-feira (16), por unanimidade dos edis presentes, requerimento de nº 12/2014, de autoria do vereador José Carneiro (PSL), que solicita a devolução, simbolicamente, do mandato do ex-gestor da cidade Francisco José Pinto dos Santos - Chico Pinto, que se tornou prefeito de Feira de Santana em 1962, pelo PSD, assumindo a Prefeitura em abril de 1963 e destituído do cargo em 1964 pelos agentes da ditadura. 

O requerimento atende ao pedido da Comissão Estadual da Verdade – Grupo de Trabalho de Feira de Santana. “Visando à efetiva homenagem, sugerimos que o ato ocorra no dia 08 de maio deste ano, época que se completa 50 anos do seu afastamento, pela força, do cargo de prefeito municipal e cuja data, ainda representa o dia da assinatura do armistício em que as forças democráticas derrotaram o nefasto nazifascismo em todo o mundo, ao qual nós brasileiros contribuímos com vidas e combatentes”, disse José Carneiro.

Chico Pinto nasceu em Feira de Santana no dia 16 de abril de 1930 e faleceu no dia 19 de fevereiro de 2008. Advogado formado pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), ele foi eleito vereador quando ainda era estudante (1951 a 1955). Ocupou a secretaria da Câmara Municipal durante quatro anos. No início da década de 70, Chico Pinto elegeu-se deputado federal, mas foi processado, tendo mais uma vez o mandato cassado. Ele voltou à Câmara Federal em 1978 e conseguiu mais dois mandatos em 1982 e 1986, depois disto abandonou a vida pública.

“Francisco Pinto foi uma das vozes que mais alto se afirmara na luta e combate à ditadura militar (1964-1985) e que levou a nossa Feira de Santana a ser ouvida nacional e internacionalmente, sem que o medo fosse parte integrante da sua personalidade”, afirmou José Carneiro.
A greve da Polícia Militar da Bahia foi considerada ilegal pelo Tribunal de Justiça na manhã desta quarta-feira (16). Com o decreto de ilegalidade, cujo pedido feito pelo Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA) e acolhido pela Justiça, todo o efetivo da PM deve voltar imediatamente às atividades para a garantia da segurança pública. 

Ainda de acordo com a decisão judicial, concedida liminarmente pelo desembargador plantonista Roberto Maynard Frank, o governador Jaques Wagner deve realizar, de imediato, um plano de contingenciamento da segurança pública em todo o estado, de modo a preservar os interesses públicos de segurança social e jurídica. 

(Foto: Helen Carvalho/Correio de Futuro)

O Ministério Público acredita que o movimento paredista coloca em risco a integridade da população baiana. "O risco à segurança pública e à coletividade é patente", afirmam o procurador-geral de Justiça Márcio Fahel e o promotor de Justiça Cristiano Chaves na ação que pediu a ilegalidade da greve.

Seis associações representativas dos policiais militares são afetadas com a decisão: a Associação de Policiais e Bombeiros e de Seus Familiares (Aspra), Associação de Praças da Polícia Militar da Bahia (APPM-BA), Associação dos Oficiais da Polícia Militar da Bahia (AOPM-BA Força Invicta), Associação dos Oficiais Auxiliares da Polícia Militar (AOAPM-BA), Associação dos Subtenentes, Sargentos e Oficiais da Polícia Militar da Bahia (ABSSO-BA) e a Associação dos Bombeiros Militares da Bahia – Associação Dois de Julho. 

Forças Armadas chegam em Salvador ainda nesta quarta
Depois do anúncio da greve dos policiais e bombeiros militares da Bahia, nesta terça-feira (15), a presidente Dilma Rousseff assinou o decreto de  Garantia da Lei e Ordem para a Bahia, que autoriza o emprego das Forças Armadas na garantia da segurança pública no Estado.
A previsão de que a primeira leva de efetivos federais, contando com cerca de 5 mil homens, esteja chegando em Salvador ainda nesta quarta-feira (16). O pedido pelo decreto foi realizado pelo governador Jaques Wagner na terça-feira (15), logo após o anúncio da greve.
(Foto: Mauro Akin Nassor/Arquivo Correio)

Com a assinatura do decreto, os militares ficam autorizados a realizar patrulha, vistoria e prisão em flagrante. Segundo a Secretaria de Comunicação do Estado da Bahia (Secom-BA), a Polícia do Exército (PE) já está patrulhando as ruas. O comando das operações ficou por conta do  comandante da 6ª Região Militar, general Racine Bezerra Lima. 
Após decidida a greve dos policiais e bombeiros militares nesta terça-feira (15), o governador Jaques Wagner decretou a Garantia da Lei e da Ordem, que possibilita a convocação do Exército para ocupar as ruas de todo o estado. Além das Forças Armadas, houve ainda um pedido formal à presidente Dilma Rousseff para o envio de tropas da Força Nacional de Segurança.

Segundo o secretário Maurício Barbosa, ainda não há a previsão de quando as tropas federais irão para as ruas. “Tem todo o procedimento interno, mas a gente pede que seja o mais rápido possível. Não sabemos a adesão da greve, mas estamos nos antecipando para que população entenda todo esse esforço”, disse.

Secretário falou com a imprensa após greve da PM ser decretada 
(Foto: Carla Ornelas/GOVBa)

Não foi confirmado o número de militares que serão utilizados na operação. Barbosa pediu para que a população “toque suas vidas” e não deixem de ir trabalhar ou estudar. “Não é momento de criarmos pânico. A sensação de insegurança só prejudica o processo. Estamos lutando para reestabelecer o trabalho das forças de segurança”.

O comandante da PM, coronel Alfredo Castro, estimou que a greve teve pouca adesão. Na noite de ontem, segundo ele, o efetivo nas ruas não sofreu redução. “O número de viaturas durante a noite está normal”, disse.(Correio 24 Horas)
Os policiais e bombeiros militares da Bahia decidiram entrar em greve por tempo indeterminado. A decisão foi tomada em assembleia realizada no Wet'n Wild, no começo da noite desta terça-feira (15). A categoria rejeitou as propostas apresentadas pelo Governo do Estado de reestruturação e modernização da Polícia Militar. 

A decisão foi anunciada pelo coordenador-geral da Aspra, Marco Prisco. Antes, vários PMs já cantavam: "ôooo, a PM parou".

Antes da assembleia, Marco Prisco, chegou a se reunir com o governador Jaques Wagner. O comando geral da Polícia Militar também se comprometeu a rever alguns pontos contestados pela categoria, como o Código de Ética e os processos disciplinares de PMs que participaram da greve no ano passado.  

As opiniões antes da decisão divergiam. O major Ubiraci Vieira, da Associação dos Oficiais do Quadro Auxiliar, comentou a situação. "Por mim, não acontece greve", disse. Ele estava otimista de que eles chegariam em um consenso, mas afirmou que a decisão dependia da categoria - mais de 10 mil policiais estavam no local.
Já o deputado estadual Capitão Tadeu criticou a postura do governador Jaques Wagner. "Tá tendo conversa direto, tanto o governo quanto as associações, nós estamos conversando diretamente, estamos com toda boa vontade negociando, mas o governador, parece que ele não entende o que está acontecendo, parece que ele tá vivendo no mundo da lua, a situação é crítica e ele acerta uma coisa e faz outra, ele e a equipe dele", afirmou.

"A proposta dele tira parte dos absurdos que ele colocou no projeto, mas não altera a questão principal, que é melhorar o plano de carreira, porque um soldado não pode mais ficar com 28 anos sem promoção, como também a questão do salário. O governador fez planos de cargos e salários para diversas categorias, e pra Polícia militar ele deixou de lado". Ele afirmou que os PMs querem a negociação. "Essa tropa que está aqui está querendo conversar, negociar, mas não quer ser enganada pelo governador mais uma vez".
(Foto: Helen Carvalho/Correio de Futuro)
Proposta e críticas
A categoria, que reúne pelo menos 34 mil homens na ativa no estado, reivindica melhoria salarial, mudanças na política remunerativa, plano de carreira, acesso único ao quadro de oficiais, um Código de Ética, aposentadoria com 25 anos de serviço para a Polícia Feminina, aumento do efetivo, bacharelado em Direito para os oficiais, além de elevação de toda a tropa para o nível superior entre 2014 e 2018.
O governo tem até 180 dias antes do início do período eleitoral para remeter ao Legislativo qualquer projeto que provoque alterações salariais de servidores.

A assembleia desta terça-feira contou com as diversas associações da categoria, como a Associação de Policiais e Bombeiros e de seus Familiares do Estado da Bahia (Aspra), a Associação de Praças da Polícia Militar do Estado da Bahia (APPM-BA) e a Associação dos Oficiais da Polícia Militar da Bahia (Força Invicta).
O coordenador-geral da Aspra, Marco Prisco, já havia afirmado que as propostas sugeridas pelo Governo não agradavam. "As propostas que o Governo ofereceu para a gente não contemplam a categoria", disse. 
(Foto: Helen Carvalho/Correio de Futuro)

Na segunda-feira (14), representantes das associações de policiais e bombeiros militares participaram de reunião com o secretário da Segurança Pública, Maurício Barbosa, e o comandante-geral da PM, coronel Alfredo Castro. O secretário garantiu rever alguns pontos apresentados aos policiais. Entre os itens propostos para revisão estão o código de ética, o plano de carreira e a promoção na corporação.

“Na quinta-feira passada, apresentamos a proposta do governo e desde aquele momento havíamos falado para todos que estávamos colocando aquilo para apreciação. Eles trouxeram uma análise do material. São propostas que vamos analisar e que estamos dispostos a revisar”, afirmou o secretário. 
12 dias de greve
Em janeiro de 2012, os policiais militares e os bombeiros da Bahia realizaram uma greve que durou 12 dias. Cerca de 3 mil policiais ocuparam a Assembleia Legislativa, no Centro Administrativa da Bahia (CAB), durante a paralisação. 
Policiais ocuparam a Assembleia Legislativa na greve de 2012 (Foto: Evandro Veiga/Arquivo CORREIO)

Os policiais reivindicavam o cumprimento da lei 7.145 de 1997, com pagamento imediato da GAP V, incorporação da GAP V ao soldo, regulamentação do pagamento de auxílio acidente, periculosidade e insalubridade, cumprimento da lei da anistia e a criação do código de ética, além da criação de uma comissão para discutir um plano de carreira para a categoria.

Durante a greve, a Força Nacional de Segurança Pública e o Exército reforçaram o policiamento em Salvador. Os agentes foram distribuídos em locais de maior circulação de pessoas, como estações de transbordo, hospitais, e Terminal Rodoviário.Via Correio 24 Horas.

A vereadora Gerusa Sampaio (PROS) ocupou a tribuna da Câmara Municipal na manhã desta terça-feira (15) para cobrar uma posição da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Bahia (SPM) com relação à solicitação que fez em parceria com o Coletivo de Mulheres de Feira de Santana, recomendando a abertura da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) durante a Micareta da cidade, que ocorre entre os dias 24 a 27 de abril. 

Conforme a edil, a delegada Clécia Vasconcelos, titular da Deam, está “indignada”, porque até o momento a SPM não se pronunciou sobre o assunto. A vereadora observa que a Micareta traz uma preocupação maior porque, segundo Gerusa, nesse tipo de evento as mulheres ficam mais propensas a agressões.

Ela diz que são necessárias medidas de prevenção e de proteção para coibir a violência contra as mulheres.  “No ano passado, aqui nesta Casa nós lutamos e conseguimos que a Deam permanecesse aberta. Este ano precisamos também abraçar essa causa”.

Centro de Referência do Homem

Na oportunidade, a vereadora sugeriu a implantação em Feira de Santana de um centro para tratar homens que agridem suas mulheres. A sugestão é baseada no artigo 35 da Lei Maria da Penha, que diz que “a União, o Distrito Federal, os Estados e os Municípios poderão criar e promover, no limite das respectivas competências centros de atendimento integral e multidisciplinar para mulheres e respectivos dependentes em situação de violência doméstica e familiar”.

Preocupado com a violência contra as mulheres, o vereador Edvaldo Lima (PP), em discurso na tribuna da Casa Legislativa nesta terça-feira (15), informou que fez uma indicação ao Governo do Município, para que seja implantado, através Secretaria Municipal de Prevenção a Violência, o “Botão do Pânico”. 

O “Botão do Pânico” é um dispositivo de segurança distribuído para mulheres que estão sob medida protetiva, podendo ser acionado caso o agressor não mantenha a distância mínima garantida pela Lei Maria da Penha.

O equipamento funciona como um pedido de socorro eletrônico em caso de risco. O botão tem áudio e GPS e, ao ser acionado, faz uma ligação direta com a Guarda Municipal, que consegue ouvir o que está acontecendo.  A gravação poderá ser utilizada como prova judicial.

De acordo com Edvaldo, na cidade de Vitória, no estado do Espírito Santo, as mulheres que se sentem ameaçadas por ex-maridos, namorados ou companheiros já contam com esse mecanismo.

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Considerado um dos guitarristas mais virtuosos do mundo, ao lado de nomes como Joe Satriani e Joe Bonamassa, o músico inglês Jon Gomm está no Brasil lançando seu terceiro e mais recente álbum “Secrets Nobody Keeps” e faz única apresentação em Feira de Santana. O músico promove ainda um workshop voltado para guitarristas e violonistas com suas técnicas de virtuose, os eventos serão realizados no Teatro do Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca), nesta segunda-feira (14 de abril).

Jon Gomm - violonista, cantor e compositor - utiliza apenas o violão para desenvolver um trabalho diferenciado, criando sons percussivos, linhas de baixo e melodias simultaneamente. Suas canções recorrem a uma ampla gama de influências e estilos, que incluem o blues, soul, rock e até mesmo o heavy metal.
Exibindo Jon Gomm  photo by Ben Barber.jpg
Apresentando-se como músico independente desde 2004, foi em janeiro de 2012 que o vídeo da música “Passionflower” tornou-se viral ao atingir mais de 2 milhões de visualizações (atualmente beira os 6 milhões). Jon Gomm mantém-se como um artista independente, realizando suas gravações com base em seu próprio selo.

Seu álbum de estreia “Hypertension” (2003) vendeu 50.000 cópias e seu segundo álbum “Don´t panic” (2009) esgotou após três dias de vendas na Amazon.

Em novembro do ano passado realizou o lançamento do álbum, “Secrets Nobody Keeps”, realizando turnês na Europa, EUA, Canadá e China. Jon foi considerado um dos dez guitarristas que mais chamaram a atenção no mundo da música em 2013.

O tema é o sertão. O protagonista é um personagem vivo da história da região, como bem define o diretor Tuna Espinheira, ao falar sobre o documentário "O Imaginário de Juraci Dórea no Sertão: Veredas", que será lançado em Feira de Santana nesta terça-feira, 15, às 20h, no Centro de Cultura Amélio Amorim (CCAAM). São 52 minutos de filme.

 

fotoEm Feira de Santana, as filmagens foram feitas principalmente no Campo do Gado e no campus da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), onde foram plantadas esculturas do "Projeto Terra", do artista plástico feirense, lançado há 30 anos. O projeto serve de inspiração para mostrar o sertão através do imaginário de Juraci Dórea.

De acordo com o diretor, o documentário segue os caminhos percorridos pelo artista, entre Feira, Monte Santo, Canudos e Raso da Catarina. São imagens e depoimentos de personagens de cada lugar.  Além de Juraci Dórea ser o motivo do filme, a produção conta com dois nomes feirenses na ficha técnica: Dimas Oliveira e Selma Soares.

"Era uma vez o sertão que virou museu a céu aberto, ao sol, a chuva, ao tempo”, diz Tuna Espinheira sobre o trabalho de Juraci, que ele compara ao pregador bíblico João Batista, pois “adentrou as veredas do sertão baiano, descortinando suas icônicas esculturas, de madeiras vestidas de couro, com uma linguagem contemporânea, desconhecida naqueles ermos”.

Aprovado pelo FSA/BRDE - Prodavi, o filme foi rodado em Digital HD pela produtora Larty Mark. A produção executiva é de Wiltonauar Moura e deverá também ser exibido pela TVE Bahia. Tem apoio do governo Cidade Trabalho, através da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer e Secretaria de Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico.
Os católicos de Feira de Santana e região prestigiaram de sexta-feira, 11, até este domingo, 13, as apresentações do espetáculo “Paixão e Morte de Cristo”, no Parque de Exposição João Martins da Silva.

 

fotoNuma demonstração de fé e preparação para a Páscoa, o público assistiu a importantes passagens da história de Jesus Cristo, como a Paixão, Morte e Ressurreição. Foram três noites de emoção e reflexão, com duas horas aproximadamente de apresentação para cada dia.

Os 150 atores do Grupo Teatral Renascer levaram mensagens de fé, ensinamentos e amor ao próximo. Eles encenaram do batismo de Jesus a ressurreição. Utilizaram cenários e figurinos que remeteram às tradições de cultura e ambientação vivenciados há mais de 2 mil anos.

As passagens bíblicas transcorreram pelo sermão na montanha, entrada em Jerusalém, a chegada ao templo, a Santa Ceia, a traição de Judas, a prisão de Cristo, negação de Pedro, o julgamento, a condenação, a Via Sacra e a crucificação.

“São cenas da vida de Jesus que representam o verdadeiro sentido da Páscoa e nos fazem refletir. Ele sofreu muito pela humanidade. Por isso, as pessoas devem seguir o mesmo exemplo, tendo mais amor próximo”, comentou a aposentada Carmem Cerqueira.

Na noite deste domingo, antes da apresentação do espetáculo, o público também participou do show do frei Mário Sérgio, pároco da Igreja dos Capuchinhos. O evento teve o apoio da Prefeitura de Feira de Santana.

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Amanhã (12) todos os caminhos se convergirão para 22ª Feijoada do Larangeira, no Mar da Tranquilidade, em Feira de Santana, que terá abertura com adoração a Jesus pela paz e amor ao próximo através do bispo Roque Hudson Mamona e pastora Neide, seguida de louvor pela banda gospel de Tatiana Queiroz. 

 
 
Às 15 horas, a banda Babado Novo, com Mari Antunes como vocalista, abrirá a segunda etapa da festa, seguida da Luccas Tibério e seu grupo animado, oportunidade em que o Cerimonial Suzana Magalhães começará servir os deliciosos frangos, pizzas e por fim a feijoada regada a geladíssima cerveja. 
Três grandes atrações já estão confirmadas para o São João de Santo Estêvão 2014. Canários do Reino, Dorgival Dantas e Simone e Simaria (As Coleguinhas) animarão o público entre os dias 21 e 24 de junho na Praça 7 de Setembro. Este ano a festa também acontecerá em outro circuito, a Praça da Lua.


A grade completa de atrações está sendo montada pelo Departamento de Cultura da Prefeitura de Santo Estêvão. De acordo com o diretor Jackson Ribeiro o objetivo é contratar bandas e cantores que valorizem a autêntica cultura nordestina.

“As atrações já confirmadas estão entre as mais pedidas pelo povo e mais novidades virão por aí”, revela. Este ano a festividade homenageará a Copa do Mundo no Brasil.

SIMONE E SIMARIA

As irmãs Simone e Simaria formam a primeira dupla de mulheres no forró no cenário da música brasileira. A batida do autêntico pé de serra faz uma deliciosa mistura com as principais tendências da música.

Começaram a trajetória de sucesso como back vocals do cantor Frank Aguiar, quando Simaria entrou para a banda com apenas 14 anos. Mais tarde, Simone juntou-se à irmã e, durante sete anos, Simone e Simaria foram conquistando o público de todo o Brasil junto com Frank Aguiar.

Desde o início de 2012, as irmãs apostam em carreira independente, sob a tutela da Social Music. A decisão tornou o ano da dupla bastante intenso, com shows por todo o Brasil, CD novo, turnê de São João, gravação de videoclipe e participação no Fortal, maior micareta Indoor do Brasil, na qual puxaram um trio e arrastaram uma multidão de fãs.

DORGIVAL DANTAS

Dorgival Dantas é atualmente um dos nomes mais expressivos da música brasileira. Tecladista, cantor, sanfoneiro e compositor, passou a ser reconhecido nacionalmente após ter composições gravadas por artistas como Tomate, na época vocalista da Banda Rapazzola, Maria Cecília & Rodolfo, Garota Safada, Bruno e Marrone, César Menotti e Fabiano, Alexandre Pires, Tchê Garotos, Guilherme e Santiago, Fagner, Flávio José e Frank Aguiar.

Em 2006 pela Universal Music, lançou o seu primeiro CD oficial “O Homem do Coração” com as músicas de trabalho “Eu não vou mais chorar” e “Porque”. No ano seguinte veio “Primeiro Passo” acompanhada de uma turnê pelo Brasil. O álbum duplo “Quanto Custa” saiu em 2011 com as músicas “Declaração”, “Paixão Errada”, “Forró só presta assim” e “Coração Teimoso”. Setembro de 2012 Dorgival lançou novo álbum com seu repertório de sucesso e os lançamentos “KKK” e “Acabou na Lama” firmando ainda mais a sua carreira como intérprete.

Suas músicas já foram trilhas sonoras de produções da Rede Globo de Televisão. No seriado Malhação a música “Barriguinha” foi gravada com Aviões do Forró, banda que cantou inúmeros sucessos de Dorgival e o projetou ainda mais para o cenário nacional. Em 2009, a composição “Você não vale nada” interpretada pela Banda Calcinha Preta se tornou sucesso com a novela Caminho das Índias, sendo eleita a melhor música do Brasil naquele ano. Jorge e Mateus também foram sucesso nas novelas com as composições “Pode Chorar” em Araguaia no ano de 2010 e “Amor Covarde” em Fina Estampa em 2012.

CANÁRIOS DO REINO

Com mais de 40 anos de estrada, a banda Canários do Reino é uma das mais disputadas no período junino. A atual formação tem a frente os cantores Zéeh Lucas, Jaiminho Sheyk e Aline Fernandes. Abrange diversos estilos de forró como vaquejada, pisadinha, xote e vanerão.

Recentemente lançou seus novos sucessos como: 05 Horas da Manhã o Sol Nascendo, Carrinho de Mão, Tapete Vermelho, Já Chorei Mas Passou  Baby, Mais me Quer, Bem que Eu Tentei e Só Depende de Você.
Blog Feira Notícias. Tecnologia do Blogger.